Fonoaudiologia

Campus Itajaí

4

conceito mec


2017

4

conceito enade


2019

Extensão

PROJETO "ATIVIDADE/TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS (A/TAA) COMO ALTERNATIVAS DE HUMANIZAÇÃO DOS CUIDADOS EM SAÚDE"

A humanização da saúde tem sido preocupação constante nos últimos anos. Uma das muitas formas de se obter este resultado é o uso de animais, que por sua ligação emocional com o homem, tornam-se coadjuvantes nos tratamentos nas mais diversas áreas da saúde, com destaque para a Fonoaudiologia e a Fisioterapia. O projeto "Atividade/Terapia Assistida por Animais (A/TAA) como alternativas de humanização dos cuidados em saúde" teve início em março de 2015 e visa a expansão do conhecimento da Atividade/Terapia Assistida por Animais com a capacitação de profissionais para que a efetividade do tratamento se torne ainda mais significativa. Assim, o objetivo é aplicar a Atividade ou Terapia Assistida por Animais (A/TAA) no cuidado integral à pessoa com necessidades especiais.

Participam do projeto uma professora bióloga, duas professoras fisioterapeutas e uma professora fonoaudióloga e quatro bolsistas com 10 horas semanais de atividade, sendo uma acadêmica do curso de Biologia duas do curso de Fisioterapia e uma do curso de Fonoaudiologia.

Equipe de trabalho

Coordenação do projeto: Prof.ª Maria Paula Mellito da Silveira

Professoras

Juliana Câmara Bastos (Fonoaudiologia)

Rubia Mara Gianchini Kessler (Fisioterapia)

Simone Iara Gasperin (Fisioterapia)

Rafael Fontenelle (Fisioterapia)

Bolsistas

Jaiane Bernardi (Ciências Biológicas)

Maria Luiza Pelizzari Dal Col (Fisioterapia)

Lauanna Pael Alcará (Fisioterapia)

Gabriele Selli (Fonoaudiologia)

Juliana Colonetti (Fonoaudiologia – voluntária)

cachorro.jpg 

PROJETO DE EXTENSÃO ASSESSORIA NA CONSTRUÇÃO DA REDE DE APOIO PARA AFÁSICOS DE ITAJAÍ E REGIÃO

O projeto nasceu no Curso de Fonoaudiologia, tem caráter multiprofissional e interdisciplinar, envolve diretamente os cursos de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Psicologia. Caracteriza-se como um programa permanente, que oferece apoio a Associação de Afásicos de Itajaí e Região – AAfas.

Equipe de trabalho

Coordenação do projeto: Prof.ª Denise Terçariol (Fonoaudiologia)

Docentes Envolvidos

  • Neusa Amorim Fleury Machado (Fonoaudiologia)

  • Alexsandra Marinho Dias (Fisioterapia)

  • José Eduardo Legal (Psicologia)

Discentes envolvidos

Bolsistas Bolsa Univali

  • Franciele Milmersted (Fonoaudiologia)

  • Marluce Cristine Teixeira (Fonoaudiologia)

  • Tainara Mafezolli (Psicologia)

  • Thamires Mendes Pereira (Fisioterapia)


Bolsista Art. 171 (Fundo Social)

  • Ana Carolina Abasto de Almeida (Fisioterapia)


Estagiária (estágio curricular obrigatório)

  • Gabriela Caruso (Psicologia)


Voluntários

  • Álex Wilson Valachinski (Psicologia)

  • Beatriz Lavezzo (Psicologia)

  • Carlos Felipe Lopes Farias (Psicologia)

  • Eduarda Silveira de Abreu (Fonoaudiologia)

  • Luiz Fernando Pappen Rockenbach (Fonoaudiologia)

  • Maria Eduarda da Luz (Fonoaudiologia)

  • Nathalia de Oliveira Franco (Fisioterapia)

  • Sabrina Oliveira Coura (Psicologia)

  • Thainá Ribeiro Klapun (Fonoaudiologia)

  • William da Silva (Psicologia)


Psicóloga voluntária

  • Perla Pereira

AAfas Natal (00000002).jpg

ok.jpg

Clientela diretamente envolvida: 

Cuidadores e/ou familiares de afásicos que adquiriram este quadro em decorrência de AVC – Acidente Vascular Cerebral, TCE – Traumatismo Crânio Encefálico, meningites, entre outros, na faixa etária acima 16 anos, provindas de Itajaí ou região, como Camboriú, Balneário Camboriú, Navegantes, Penha, Piçarras, Ilhota, Gaspar, Brusque entre outros.

PROJETO DE EXTENSÃO SAPS

O Serviço de Atendimento à Pessoa Surda (SAPS), vinculado ao Curso de Fonoaudiologia da UNIVALI, é responsável pelo atendimento pedagógico especializado de usuários surdos. Tem como objetivo, oferecer serviço de educação especial, organizado institucionalmente para apoiar e complementar os serviços educacionais comuns, viabilizando a sustentação e a construção da educação inclusiva.

Por meio de sua equipe de profissionais, formada por uma fonoaudióloga responsável pelo Serviço, uma orientadora pedagógica, professores bilíngues, monitores e instrutores de Libras, vêm buscando ampliar seu trabalho, favorecendo o desenvolvimento global do surdo, sua comunicação e inclusão nas escolas da rede regular de ensino. A estrutura física do SAPS, conta com 6 salas de aula, 1 refeitório e 1 cozinha, 1 laboratório de informática e uma sala de coordenação.

O Serviço atende pessoas com deficiência auditiva de grau moderado a profundo, de dois a 60 anos, oriundas de toda a região da AMFRI, bem como seus familiares. Neste primeiro semestre de 2019 o SAPS conta com 58 alunos matriculados. A clientela atendida permanece no Serviço por um período de até três horas com atendimentos diversificados por meio de Programas de Estimulação Essencial, Língua Brasileira de Sinais-Libras, Português como segunda Língua, Informática Educativa, Curso de Libras e Projeto de dança Hip Hop. O período de atendimento acontece sempre no contra turno do ensino regular.

O trabalho oferecido aos surdos e suas famílias é gratuito e a partir de 2013 o Serviço ampliou seus atendimentos, recebendo também crianças surdas oralizadas, que descobriram a perda auditiva precocemente e começaram a usar aparelho auditivo ou realizaram cirurgia de implante coclear, para estimular ainda mais o desenvolvimento de linguagem.

O Serviço engloba o atendimento de pessoas que se comunicam somente por intermédio da Libras, de pessoas que utilizam Aparelho de Amplificação Sonora Individual ou Implante Coclear e se comunicam por intermédio da fala e de todos os surdos que se comunicam ou desejam se comunicar de alguma forma.

Desde 2015, o SAPS passou ter bolsistas de extensão do curso de Fonoaudiologia e Educação Física e também serve como campo de estágio para alunos da Fonoaudiologia e Psicologia. Com a vinda dos bolsistas da Fonoaudiologia passou a oferecer também atendimento clínico por intermédio de terapias fonoaudiológicas, realização de audiometrias, além de continuar com as visitas as escolas, promovendo ao acadêmico de fonoaudiologia, acesso a conhecimento teórico prático na habilitação e reabilitação de deficientes auditivos. Destacando que esta ação é supervisionada por um docente do curso de Fonoaudiologia.

As visitas às Escolas dos usuários que frequentam o ensino regular, têm como principal objetivo promover a formação e o fortalecimento de redes de apoio voltadas a pessoas com deficiência. O projeto contribui na inserção social do sujeito com deficiência auditiva, no que se refere à efetivação dos processos de comunicação sujeitos-família-escola-sociedade.

Estratégias utilizadas

  1. Programa de LIBRAS aos usuários do serviço

  2. Comunicação e Expressão

  3. Estimulação da Linguagem.

  4. Informática Educativa

  5. Oficina de Leitura e Escrita

  6. Programa de LIBRAS para pais

  7. Oficina de dança de HIP HOP

  8. Comunicação de crianças ouvintes filhas de pais surdos

  9. Programa de Comunicação e Expressão Corporal e Artes às crianças, adolescentes e adultos surdos

Professores e/ou funcionários envolvidos

  1. 01 Professora que é a Responsável Técnica

  2. 01 Orientadora Pedagógica de 20 horas

  3. 01 Professor Bilíngue de 20 horas

  4. 02 Estagiários Surdos (sendo uma aluna do Curso de Fonoaudiologia)

  5. 03 Estagiárias de extensão

  6. 01 Bolsista da Educação Física que é professor de dança

  7. 01 funcionária surda

  8. 01 Auxiliar de Cozinha

  9. O Serviço tem em seu quadro de professores 03 professores, sendo um com 40 horas e outro dois com 20 horas cedidas por meio de um Convênio da Universidade do Vale do Itajaí – Univali com a Fundação Catarinense de Educação Especial – FCEE, desde o ano de1981.

  10. Alunos envolvidos diretamente: 60.

saps.jpg 

PROJETO GRADUASUS E PRÓ-SAÚDE

PET 2 (00000002).jpg

Desde a aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), os cursos que compõem a Escola de Ciências da Saúde da Univali fomentam ações por meio do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde) para efetivar a formação acadêmica e profissional com competências, habilidades e conteúdos contemporâneos, capazes de atuarem, com qualidade e resolutividade no Sistema Único de Saúde (SUS). Dentre essas ações está a construção de novas matrizes curriculares, reformulação dos planos de ensino buscando contemplar o equilíbrio entre o conhecimento técnico-científico e a determinação social do processo saúde doença; a incorporação de metodologias de ensino capazes de superar o modelo tradicional - conteudista e fragmentado - para uma aprendizagem mais ativa, de abordagem interdisciplinar e baseada na resolução de problemas adequados a realidade social e epidemiológica. Para a concretização deste objetivo a universidade tem promovido a integração entre os cursos e os cenários de prática, em atividades de ensino, extensão e pesquisa.

Nesse cenário, surgiu o Edital nº 13 relativo ao GraduaSUS 2016/2017 que objetivou: 1) promover mudanças curriculares alinhadas às Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para todos os cursos de graduação na área da saúde; 2) qualificar os processos de integração ensino-serviço-comunidade de forma articulada entre o Sistema Único de Saúde e as instituições de ensino; 3) articular os projetos do Ministério da Saúde e Ministério da Educação e/ou outros projetos de âmbito local ou regional relacionados à integração ensino-serviço-comunidade; 4) contribuir para fortalecer o movimento de mudança da formação de graduação em saúde, aproximando-a do Sistema Único de Saúde (SUS). Mesmo após a conclusão do projeto pelo Ministério da Saúde, a UNIVALi optou por manter as atividades do GraduaSUS em 2018, garantindo as inserções nos cenários de prática e a consequente integração ensino-serviço-comunidade.

No final de 2018, a UNIVALI foi contemplada com a continuidade do PET por meio da aprovação do Projeto PET Interprofissionalidade, que teve a seleção de bolsistas, preceptores, tutores e coordenadores de grupo no mês de dezembro de 2018, com atividades previstas para início em fevereiro de 2019.

O curso de de Fonoaudiologia da Univali participa ativamente desse processo desde sua implantação, estando inserido na equipe gestora local composta de docentes de todos os cursos envolvidos. Nesta equipe temos uma docente do Curso de Fonoaudiologia que participa como articuladora do Pro-PET Saúde e quatro professoras que ministram aulas nos primeiros períodos do curso envolvidos nas atividades do GraduaSUS. As disciplinas que participam diretamente do GradaSUS 2016/2017 e 2018 são: Metodologia do Trabalho de Campo, Identidade e Comunicação, Saúde da Criança e do Adolescente, Politicas Públicas e Fonoaudiologia Comunitária, envolvendo aproximadamente 120 alunos.

PET 3 (00000002).jpg

PET 1 (00000003).jpg

PET 4 (00000002).jpg






















Dados Gerais

Titulação

Fonoaudiólogo

Atos Regulatórios

​​​Reconhecimento do Curso: Portaria Ministerial nº 968, de 24/06/1994

Renovação do Reconhecimento: Decreto nº 1.598, de 12/08/2008

2ª Renovação do Reconhecimento: Portaria MEC nº 546, de 05/06/2017

Carga Horária

​3.270 horas

Duração

​10 semestres

Turno de Funcionamento

​Noturno

este curso está vinculado à Escola de Ciências da Saúde

vídeos

Copyright - univali.br - 2021 - Todos os direitos reservados