Histórico


O Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho é um mestrado profissional. A modalidade Profissional sinaliza uma maior aproximação entre o projeto e as políticas públicas na área. Em 2002 o Projeto do Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho, com área de concentração em Saúde da Família (Resolução nº 061/CONSUN/CaPPEC/2002 – Aprova o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu, Profissionalizante em Saúde – Área de Concentração em Saúde da Família – CCS, em 03 de novembro de 2002). O início das atividades se deu em fevereiro de 2003, tendo até o momento ingressado treze turmas de alunos com essa área de concentração.

A opção pela modalidade Profissional (amparada pela Portaria CAPES 080/98) pelo propósito de produção de conhecimento em saúde, com maior aderência possível ao cotidiano gerencial/assistencial/educacional. Afim de atingir estes objetivos tem como conceitos chaves:

  • Interdisciplinaridade: é um modo de trabalho conjunto, em torno de um objeto fronteiriço, proximal, em busca de soluções alimentadoras da vida, por meio de intensidade de trocas e interfaces entre pensamentos diversos, integrados em um projeto cooperativo, respeitando-se as bases disciplinares (CUTOLO, 2007, PHILIPPI JR; SILVA NETO, 2011).

  • Atenção Primária da Saúde: é uma estratégia de organização do modelo de atenção caracterizada por um conjunto de ações de cuidado à saúde, orientada pelos princípios da universalidade, da acessibilidade e da coordenação do cuidado, do vínculo e continuidade, da integralidade, da responsabilização, da humanização, da equidade e da participação social, no âmbito individual e coletivo, articulada à rede de atenção em saúde. Implica Ações Integradas de Saúde democráticas e participativas na gestão, no cuidado e na educação em saúde, sob forma de trabalho em equipe, dirigidas a populações de territórios bem delimitados, pelas quais assume a responsabilidade sanitária, considerando sua dinamicidade (BRASIL, 1999).

  • Cuidado em Saúde: é uma ação solidária e interativa por definição, em uma relação com mútuas possibilidades e limites. É um diálogo entre pessoas que inclui atenção, envolvimento, compromisso com o direito de escolha. Implica aceitação de valores, crenças, capacidades e necessidades e diz respeito ao reconhecimento dos participantes no cuidado, como esta situação é enfrentada e as perspectivas para a vida (LEOPARDI, 2002).

  • Tecnologia em Saúde: é a denominação de produtos, processos e métodos que articulem conhecimentos e práticas visando à transformação do modelo de atenção à saúde. Implica articulação de conhecimentos e práticas que contribuam para o processo de cuidado, de gestão e da educação em saúde (MENDES-GONÇALVES, 1994; MEHRY, 2003; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006).

Copyright - univali.br - 2019 - Todos os direitos reservados

Histórico