Linha 1: Fitoquímica e atividade biológica


Visa a investigação fitoquímica de plantas medicinais de interesse farmacêutico e a avaliação farmacológica (com ênfase em atividade antimicrobiana, antineoplásica, analgésica, antiinflamatória e sobre o Sistema Nervoso Central) de extratos e compostos isolados. 

Projetos:

1. Análise fitoquímica e avaliação biológica de Vernonia scorpioides

Este projeto visa estudar fitoquimicamente as partes aereas de V. scorpioides, biomonitorando sua atividade através de ensaios de citotoxicidade e linfoproliferativa in vitro e a atividade antitumoral in vivo, visando isolamento de lactonas sesquiterpenicas bioativas.

Equipe: Alexandre Bella Cruz (docente responsável), Maique Weber Biavatti (pesquisador), Humberto Buskuhl (Mestrado), Edneia C. Bueno (docente), Cristiani Burger (docente), Ana Karla (PIPG), Rosalina Neris (Graduação), Franciele de Cesaro (mestranda), Carolina V. da Silva (graduação), Juliana Bagattini Klein (Mestrado)

Financiamento: bolsa Mérito Universitário FAPESC, CAPES (BOLSA), PIPG

Início: 2006

2. 3. Atividade antiinflamatória e antinociceptiva de Litchi chinenses e Chenopodium ambrosioides L. – Erva De Santa Maria

Serão desenvolvidos modelos farmacológicos de inflamação e antinocicepção visando avaliar o efeito de extratos, frações e compostos isolados de Litchi chinenses e C. Ambrosioides relacionando com os resultados fitoquímicos das plantas.

Equipe: Marcia Maria de Souza (docente resp.); Maique W. Biavatti (docente colaboradora); Lílian W. Rocha (auxiliar de laboratório); Rosana C.L. Castellain (mestrado); Liliane Grasse (Mestrando),Iandra Holzmann (mestrado), Cristiani Burger, Ângela Malheiros (docente colaborador), Crhistiane Meyre da Silva Bittencourt (docente colaborador), Valdir Cechinel Filho (docente), Ana Elisa Gonçalves (graduação), MATHEUS CORREA DOS SANTOS (graduação), Maiara M. Carraro (graduação), Ingrid Farias (graduação), Beatriz Pedrini (ARt 170)

Financiamento: Edital UNIVERSAL Nº 07/2009 – FAPESC, Bolsa de IC- CNPq, Artigo 171 e 170

3. 4. Atividade Antimicrobiana de Extratos, Frações e Substâncias da Planta Eugenia umbelliflora Berg (Myraceae)

Em estudos preliminares, os extratos metanólicos bruto e suas frações dos frutos da planta Eugenia umbelliflora apresentaram bom potencial de inibição microbiano. Desta forma a realização desta pesquisa visa evidenciar cientificamente a(s) substância(s) potencialmente ativa(s) presente(s) nas folhas e frutos da E.umbelliflora, no combate a infecções bacterianas e fúngicas, bem como verificar a ação de toxicidade sobre Artemia salina.

Equipe: Alexandre Bella Cruz (docente Responsável), Valdir Cechinel Filho (docente), Franco Delle Monache (colaborador), Ana Baumgart (Mestrado) incluir em 2012, Christiane Meire Bittencourt (participante externo), Larissa Faqueti (graduação)

Financiamento: Bolsa PIPG-Univali

Início: 2003

4. 5. Atividade Antimicrobiana de Extratos, Frações e Substâncias de espécies de Piper

A realização desta pesquisa visa evidenciar a(s) substância(s) potencialmente ativa(s) presente(s) nas folhas de Piper solsianum, P. cernum, P. amplum, P. aduncum e Piper sp contra bactérias e fungos (filamentosos e leveduriformes), bem como verificar a ação de toxicidade.

Equipe: Alexandre Bella Cruz (docente Responsável), Elisa Muller (mestranda),Valdir Cechinel Filho (docente), Franco (externo), Rosi Zanoni da Silva (participatne externo) Ana Paula Schmit (Probic incluir), Mateus Pereira Salvatori (graduação), Vinicius B. Blodon (graduação) (TIRAR), Marcelly Boera (graduação), Adriana Gaspareto Soletti (doutorado), Jocelene Demetrio Jurcevic (mestrado) INCLUIR, Daniela da Silva tirar

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): FUNCITEC/SC Edital Jovem Doutor 009-2003 (R$ 20.000,00), PIPG

Início: 2003

5. Investigação da farmacologia de processos dolorosos e inflamatórios e avaliação de possíveis candidatos a fármacos analgésicos ou ant-iinflamatórios de origem natural ou sintética

Investigar as vias moleculares envolvidas em diferentes modelos de dor crônica de origem neuropática e inflamatória. Avaliar o efeito de compostos de origem natural ou sintética frente a alterações sensoriais mecânicas e/ou térmicas induzidas por modelos animais de dor neuropática e dor inflamatória em camundongos e ratos. Investigar os possíveis mecanismos de ação desses compostos, através dos modelos animais citados acima, bem como através da utilização de teste bioquímicos e de biologia molecular

Equipe: Nara Lins Meira Quintão (Professor responsável), Rivaldo Niero (docente), Valdir Cechinel (docente), Carla de Souza Antonialli (mestranda), Gislaine Francieli da Silva (doutoranda), Nicole Anzanello Meira (Mestranda), Lilian Wunsch Rocha (Mestranda), Juliana Bagatini Klein (Mestranda), Douglas Alves (Graduação), Isaac Pittigliani Jorge (Graduação), Thaís Ottoni (graduação), Mariana Ferreira dos Anjos(graduação), Caroline Valente (Docente incluir em 2013), Ana Julia Von Borell du Vernay Franca (mestranda),Thiago Corrêa (Graduação), Deyse ungericht (Graduação), Ellen Keil (graduação), Mariana Ferreira dos Anjos (graduação), Graylin Nicole Bernal (Graduação)

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): FAPESC – PROJETO JOVEM PESQUISADOR; Edital UNIVERSAL Nº 07/2009 – FAPESC, PIBIC

Início: 2009

6. Análise do microambiente tumoral e dos mecanismos moleculares que permeiam a dor do câncer

Análise de diferentes meios de cultivo 3D para avaliação do microambiente tumoral, Investigação das vias de sinalização presente nos modelos de co-cultivo 3D de células tumorais e não tumorais. Investigação da farmacologia da dor do câncer através de modelos animais (em camundongos e ratos). Investigar os possíveis mecanismos envolvidos através da utilização de ferramentas farmacológicas e de teste bioquímicos e de biologia molecular.

Equipe: Nara Lins Meira Quintão (Professor responsável), Caroline Valente (Docente),Maria Verônica D’Avila Pastos (Docente), Clovis Antônio Rodrigues (docente), Ana Julia Von Borell du Vernay Franca (mestranda), Gislaine Francieli da Silva (Mestranda), Thiago Corrêa (Graduação), Mariana Ferreira dos Anjos (graduação)

Início: 2009

7. 8. Avaliação do potencial anti-úlcera gástrica de extratos, frações e substâncias isoladas de espécies vegetais da flora brasileira

Este projeto tem por objetivo avaliar a atividade antiulcerogênica, em modelos de experimentação que utilizam animais, de espécies vegetais pertencentes à flora Brasileira, focando principalmente aquelas para as quais há relatos de uso popular, tais como: Plinia glomerata, Ipomoea pes-caprae, Polygala cyparissias, Achryrocline saturoides, Psidium guavaja, Maytenus robusta, Rubus imperialis, Psidium catleianum, Brassica oleraceae, Garcinia achachairu e Phyllanthus niruri.

Equipe: Sérgio Faloni de Andrade (Professor responsável), Niero e Cechinel, Marta Ferreira da Silva Marcondes (mestranda), Marivane Lemos (mestranda), Luiz Klein (mestrado), Francielle Zanatta (Graduação), Renan Gandolfi Becker (Graduação), Natália Damian (Graduação), Laís Orlof (Graduação), Priscila Berté (mestrado), Roseane Leandra Rosa (mestranda INCLUIR EM 2012), Jady Alice Rodrigues Rocha (graduação), Nicole Garbin Comandulli (graduação),

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): Probic-Univali, Pibic, Pronex-FAPESC

Início: 2008

8. Avaliação farmacológica de extratos e princípios ativos isolados ou compostos sintéticos sobre o SNC de roedores

Este projeto visa estudar extratos e/ou princípios ativos obtidos de plantas medicinais com ação anticolinesterásica comprovada e suas implicações nas etapas do processo de memória (aquisição, consolidação e evocação) em animais normais ou com Alzheimer induzido. Compostos isolados, tais como o Taraxerol, Morina e alfa-beta amirina obtidos de Eugenia umbelliflora, o ácido ursólico e plumerideo obtido de Alamanda catártica, o AMB obtido de Rapanea ferrugínea e outros compostos de origem sintética serão analisados em modelos pré-clínicos.

Equipe: Márcia Maria de Souza (docente responsáve), Angela Malheiros (docente), Valdir Cechinel Filho, Rogério Corrêa, Cristiani Bürger (externo), Chris Meyre, Roberto Dalla Vecchia (outro participante), ROSENDO AUGUSTO YUNES, FÁTIMA DE CAMPOS BUZZI Marina da Silva Machado (docente), Mauricio, Talita Berte (mestranda), Philipe Costa (mestrado) Carla Jane Weber (graduação), Stefany Andrade Serrão (graduação); Bruna Alaide Chaves (graduação); Thiago Correa (graduação); Ângela Dorvis

Pinheiro (graduação) Yasmin Almeida Klas (graduação), Vania Noldin (docente colaborador), Carine Dutra Brignol (graduação), VANUSA FABIELE KOHUT (graduação), Diogo dos Santos (mestrando); Dionei Floriani

Financiamento; Edital Universal 2008 CNPq, Edital Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Inovação Farmacêutica (INCT-if), Capes (bolsa) Bolsa PRObic/UNIVALI; Bolsa PIBIc /UNIVALI; bolsa FUNDES, Bolsa artigo 170 e 171

Início: 2008

9. Avaliação farmacológica de extratos e/ou princípios ativos de plantas medicinais com potencial Anti-Parkinson

Este projeto visa estudar extratos e/ou princípios ativos obtidos de plantas medicinais e suas implicações nas etapas do processo de memória (aquisição, consolidação e evocação), e aspectos comportamentais e motores em animais normais ou com Parkinson induzido. Serão estudados a alfa-beta amirina obtidos de Eugenia umbelliflora , e plumerideo obtido de Alamanda catartica, e outros compostos a serem selecionados .

Equipe: Márcia Maria de Souza (docente responsáve), Angela Malheiros (docente), Cristiani Bürger (docente externo), Chris Meyre (DOCENTE COLABORADOR); Thiago Correa (graduação); Diogo dos Santos (mestrando); Iandra Holzemann (Mestranda); Valdir Cechinel Filho (docente colaborador), Christiane Meyre da Silva Bittencourt, Vania Noldin (docente colaborador), Philipe costa (mestrado), Diogo Adolfo dos Santos (mestrado) Holzmann, Iandra (mestrado), Thiago Correa (Probic)

Financiamento: Edital Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Inovação Farmacêutica (INCT-if), Capes (bolsa), Bolsa PRObic/UNIVALI; Bolsa PIBIc /UNIVALI; bolsa FUNDES, Bolsa artigo 170.

10. Avaliação fitoquímica e famacológica de Rapanea ferruginea: determinação da atividade anti-hiperglicemiante, anticolinesterásica e sobre o SNC de extratos e compostos isolados

O ácido mirsinóico B, encontrado em várias espécies do gênero Rapanea, exibe várias propriedades farmacológicas sendo estudado principalmente seu efeito antiinflamatório.. Estudos anteriores realizados em nossos laboratórios demonstraram que os extratos de Rapanea bem como o ácido Mirsinoico B (seu maior componente) exibiram efeito antinociceptivo em vários modelos farmacológicos de dor. Com o presente estudo procurou-se verificar através do modelo de dor induzido pelo ácido acético, qual o sistema de neurotransmissores envolvidos no processo doloroso poderia mediar o efeito antinociceptivo do composto.

Equipe: Ângela Malheiros (Docente responsável), Márcia Maria de Souza (Professor), Rosendo Yunes (colaborador), Cristina Padoani (Graduação), Cristiani Burger (externo), Saraí Hes (mestranda), Carla Antonialli (mestranda), Vansesa Gazoni (mestrado), Felipe Borges (Graduação), Laiana Scorteganha (graduação), Fernanda Galvan e Lais Milena Fronza e Elis Roberta Monteiro (Graduação), Bruna dos Santos Silva (graduação)

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): Laboratório Cristália (5.000,00) bolsas PIPG; PIBIC; ProBIc-Univali e Prêmio Mérito universitário Catarinense- FAPESC, Edital UNIVERSAL Nº 07/2009 - FAPESC

Início: 2004

11. Estudo fitoquimico e farmacologico do potencial terapêutico de plantas medicinais selecionadas da flora catarinense

Este projeto visa o estudo fitoquímico e farmacológico de diferentes partes de Rubus imperialis, Rubus rosaefolius, Rubus niveus, Garcinia achachairu Rusby, Vetiveria zizanioides, Macrosiphonia velame e Pilea microphylla cujos resultados anteriores permitiram evidenciar promissor potencial terapêutico A partir de extratos e frações purificadas serão identificados os compostos isolados, através de técnicas cromatográficas e espectroscópicas (RMN, EM, IV, UV), avaliando-se a atividade biológica, em modelos experimentais in vivo e in vitro, de domínio do grupo de pesquisa.

Equipe: Rivaldo Niero (docente responsável), Valdir Cechinel Filho (docente), Franco Delle Monache (colaborador), Nara Lins Quintão, Alexandre Bella Cruz (Docente), Fátima de Campos Buzzi (docente), Delair Silveira dos Santos (mestranda), Marlova M. dal Molin (M) Sergio Faloni (docente), Rene (docente), Marina Machado (docente),Jhony da Silva lopes Cristina Rottili, Vanessa de Simas; Luisa Nathalia Bolda Mariano (grad) Priscila Berté (mestrado), Priscila Tesslele (G), Zhelmy (colab.), Carla Melim (M), Pâmella Cristine Duarte (Mestrado), Cristiane Barp (Graduação); Daniela Da Cunha Cipriani (Graduação), Ana Lidia Boing dos Santos (PIBIC)

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): Funcitec-SC Edital Jovem doutor 009-2003 (R$ 27.000,00); Edital UNIVERSAL Nº 07/2009 - FAPESC(R$ 45.200,00); PIBIC

Início: 2004

12. Isolamento identificação, quantificação e análise farmacológica de espécies pertencentes ao gênero Allamanda

Isolar, purificar e caracterizar as substâncias presentes em diferentes partes de espécies pertencentes ao gênero Allamanda, bem como a quantificação das substâncias de interesse através da avaliação sazonal. Neste sentido, serão utilizadas as técnicas de Cromatografia em coluna (CC), Cromatografia em Camada Delgada (CCD), Cromatografia Gasosa (CG) e Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE), Infra Vermelho (IV), Ressonância Magnética de Hidrogênio e Carbono 13 além de técnicas bidimensionais. A avaliação farmacológica das substâncias isoladas será realizada através quanto à atividade no SNC, em modelos experimentais de memória: esquiva inibitória, convulsão induzida pelo etilenotetrazol e estricnina; modelo do sono induzido por barbitúrico; modelo de ansiedade através de plus maze e modelo de depressão pelo teste de nado forçado. Serão utilizados animais normais e com mal de Alzheimer induzido. Além disso, será testada a atividade anticolinesterásica dos compostos visando direcionar o isolamento das substâncias bioativas que futuramente possam contribuir para o tratamento da doença de Alzheimer. Outra atividade biológica a ser explorada é a atividade antimicrobiana (fungos e bactérias), bem como a citotoxicidade dos compostos.

Equipe: Angela Malheiros (docente responsável), Valdir Cechinel Filho (docente), Márcia Maria de Souza (docente), Marina da silva Machado (docente), Fabiana Gomes do Nascimento (mestrado), Amanda Faqueti (graduação), Folvi Danieli Tomczak (graduação), Carolina Wittkowski (graduação), Tiago José Bonomini (mestrado); Cristiane Burger (EXTERNO), Anaelisa Gonçalves (graduação), Carla Jane Weber (graduação), Jéssica F. Wilhelm (graduação), Sabrina Zulian (graduação), Tiago José Bonomini (doutorando); Iandra Holzmann (doutoranda) cadastrar em 2013

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): PIBIC, PROBIC/UNIVALI; PMUC, UNIVERSAL 2010/CNPq

Início: 2006

13. Avaliação da toxicidade reprodutiva de um composto fitoperápico comercial em fêmeas de camundongos

As plantas tem sido desde séculos, um recurso ao alcance do ser humano para o tratamento de uma variedade de doenças. No Brasil, o uso de plantas medicinais é amplamente difundido e a maior parte dos fitoterápicos comercializados é de venda sem prescrição médica. Um dos principais problemas da utilização destes produtos é a crença de que produtos de origem vegetal são isentos de reações adversas e efeitos tóxicos. As Gestantes constituem um grupo populacional que culturalmente recorre ao uso de fitoterápicos, por acreditarem que não causam danos ao feto. É comercializado nacionalmente há muitos anos, um composto fitoterápico com a associação de tinturas de sete plantas, indicado como tônico e aperiente. Porém, este composto também tem sido utilizado empiricamente por mulheres que querem engravidar afim de aumentar a fertilidade. Contudo, nenhum artigo científico foi encontrado na literatura comprovando os efeitos indicados na bula e os possíveis efeitos sobre a reprodução. Portanto, este estudo pretende investigar os efeitos deste composto sobre a reprodução em fêmeas de camundongos. Desta forma, serão utilizadas fêmeas isogênicas da linhagem BALB/c e serão avaliados os seguintes parâmetros reprodutivos: Taxa de cópula, fertilidade, viabilidade fetal, implantação, índice placentário e outras variáveis que possam indicar algum efeito tóxico.

Equipe: Sergio Faloni de Andrade (docente resp.);Vera Lucia Langaro Amaral (mestranda), Rilton, Francielle Zanatta (graduação) Carolini Gardini (graduação)

14. Estudo fitoquímico e atividade biológica de Polygala cyparissias St.Hill. & Moq. (Polygalaceae)

O presente estudo objetiva determinar a composição química de Polygala cyparissias, avaliar a variabilidade sazonal de alguns de seus constituintes e verificar sua potencial atividade anti-úlcera. Para tanto, proceder-se-á a extração exaustiva com solventes de polaridade crescente: hexano, acetato de etila e metanol. Os extratos que apresentarem melhor atividade biológica serão cromatografados a fim de obterem-se compostos isolados. Os testes farmacológicos in vivo com camundongos, além de serem realizados com os extratos, serão também processados com os compostos isolados, para verificar a atividade gastroprotetora e secretora gástrica. A atividade gastroprotetora será avaliada utilizando modelos de úlcera aguda induzida por etanol/HCl, por anti-inflamatório não-esteróide associada à estimulação parassimpaticomimética e úlcera crônica induzida por ácido acético; a segunda será avaliada pelos modelos de ligadura de piloro e de secreção de muco em mucosa gástrica. Além disto, serão preparados extratos metanólicos das raízes, caules, folhas e flores, e das amostras de P. cyparissias coletadas nas quatro estações do ano, sendo os compostos isolados quantificados por cromatografia líquida de alta eficiência, com o intuito de verificar a variabilidade dos compostos frente à mudança das estações e partes da planta, visando também a correlação com a atividade biológica.

Equipe: Dr.Valdir Cechinel Filho (docente orientador), Dr. Sergio Faloni de Andrade (docente co-orientador), Luiz Carlos Klein Júnior (mestrando).

Início: março de 2009

Financiamento: Chamada Pública 002/2007 – Fapesc/CNPq Pronex/SC

15. Estudo fitoquímico e farmacológico de Drimys brasiliensis Miers (casca da anta)

A Drimys brasiliensis (Winteraceae), segundo a medicina popular possui propriedades antiespasmódicas, aromáticas, estimulantes, antidiarréicas, antifebril, contra hemorragias uterinas e algumas vezes no tratamento do câncer. Até o momento as principais classes de compostos encontrados nesta planta são principalmente sesquiterpenos drimanos e flavonóides. Dos sesquiterpenos drimanos destacam-se o poligodial e o drimanial, que vem sendo avaliados em alguns modelos de tumores, comprovando assim as suas atividades biológicas. Por isso, este trabalho visa continuar os estudos a fim de avaliar fitoquimicamente e farmacologicamente as diferentes frações do extrato Clorofórmico das cascas da Drimys brasiliensis visando avaliar a atividade dos compostos isolados, sobre linhagens de células leucêmicas. O isolamento será direcionado na busca dos sesquiterpenos drimanos. Estes serão identificados por técnicas espectroscópicas de infravermelho, ressonância magnética nuclear e espectrometria de massas ou por comparação com padrões. Os extratos, frações e compostos isolados serão testados em células de linhagens tumorais e serão feitas a avaliação do potencial citotóxico em modelo de viabilidade celular. Também visa evidenciar a(s) substância(s) potencialmente ativa(s) presente(s) na planta citada contra bactérias e fungos (filamentosos e leveduriformes), bem como verificar a ação de toxicidade sobre Artemia salina.

Equipe: Angela Malheiros (docente orientador), Rilton (EXTERNO), Alexandre Bella Cruz, Valdir Cechinel Filho (docente), Rosendo Augusto Yunes (externo), Vanessa D. Claudino (mestrando), Alessandro O. (mestrando) Kesia Carolina da Silva (Graduação), Gilberto Franchi (colaborador), Alexandre Nowill (colaborador), Eduarda Fratoni (graduação)

Financiamento: probic, UNIVERSAL 2010/CNPq, PROBIC/UNIVALI

Início: 2009

16. Atividade citotóxica, genotóxica e antioxidante dos extratos e compostos isolados e derivados de Rapanea ferruginea

O trabalho visa avaliar a atividade citotóxica e genotóxica os extratos e compostos isolados de Rapanea ferruginea. A atividade citotóxica dos extratos brutos das cascas, folhas e frutos desta planta, bem como os compostos isolados ácido mirsinóico A, B e C será avaliada utilizando-se diferentes linhagens celulares. Os padrões de morte celular serão avaliados por microscopia de fluorescência, utilizando corantes como anexina V conjugada com FITC (fluorocromo) e brometo de etídeo, e a atividade da enzima Caspase-3 por ensaio colorimétrico. A atividade biológica da caspase 3 será observada quanto ao padrão de fragmentação do DNA (ácido desoxirribonucleico) (ativação da enzima Dnase Ativada por Caspase (CAD)). Também será avaliado o potencial genotóxico em células de linfócitos humanos, utilizando-se o ensaio cometa. Os resultados a serem obtidos poderão ser utilizados para identificar frações bioativas bem como seu possível mecanismo de ação citotóxico abrindo possibilidades para estudos futuros in vivo.

Financiamento: PIBIC/CNP, Edital Universal 2010/CNPQ

Equipe: Ângela Malheiros (RESPONSÁVEL),Rilton Alves de Freitas (EXTERNO), Thaís Aparecida Tomio (mestranda), Claiza Barretta (mestrado), Roberto Dalla Vechia, Bruna dos Santos Silva (graduação)

Início: agosto de 2008

17. Estudo fitoquímico biomonitorado de Maytenus robusta (Celastraceae)

Neste, projeto objetiva-se isolar e identificar substâncias ativas, de diferentes partes da planta, incluindo as raízes e desenvolver método para o controle de qualidade selecionando marcadores. Além disso, será avaliada a ação antiulcerogênica e toxicidade dos extratos obtidos em diferentes estações e soluções extrativas e o possível mecanismo de ação, em diferentes modelos experimentais in vivo.

Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Rivaldo Niero (Docente responsável); Marina Da Silva Machado (Colaborador); Valdir Cechinel-Filho (colaborador); Colaborador; Sergio Faloni de Andrade (Colaborador); Jhonny Lopes da Silva, Tailyn Zermiani (Grad);

Danyela Francine Benvenutti Brasil (Mestrado); Oscar Benigno Iza (Colaborador)

Início: 2010

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Universal 2010 - Auxílio financeiro = 18.837,00

18. Contribuição à validação da atividade gastroprotetora de Achyrocline satureoides (Marcela) (Lam.) D.C. – Asteraceae visando ao desenvolvimento de fitoterápico anti-úlcera gástrica

Achyrocline satureoides é uma planta muito difundida nos estados do sul do Brasil, e conhecida popularmente como Marcela, à qual são atribuídos pela população várias propriedades terapêuticas como: anti-inflamatório, calmante e sedativo, para transtornos hepáticos, antioxidante e principalmente para tratamento de distúrbios gástricos, como por exemplo, úlceras gastrointestinais e dispepsias, sob a forma de infusão obtida das inflorescências. Algumas das propriedades terapêuticas atribuídas à macela foram comprovadas por estudos científicos, no entanto, a utilização nos distúrbios gástricos ainda não foi adequadamente estudada. Devido ao estilo de vida adotado pela população (stress, fumo, consumo de bebidas alcoólicas, alimentação inadequada), as ulceras gástricas se tornam cada vez mais comuns, atingindo cerca de 10% da população mundial. Dessa forma, o presente trabalho tem por objetivo avaliar a atividade antiúlcera do extrato e frações obtidos das inflorescências de A. satureoides em modelos animais, utilizando metodologias para avaliação da atividade gastroprotetora (úlcera induzida por etanol, anti-inflamatórios não-esteroidais e ácido acético), avaliação da secreção gástrica (ligadura de piloro e secreção de muco) e mecanismos de ação antiúlcera (oxido nítrico, grupos sulfidrilas). Desta forma, considerando o exposto acima, o fato da ampla indicação popular do uso de preparados de inflorescências de A. satureoides para o tratamento de distúrbios gástricos, principalmente úlceras gástricas, e a falta de estudos que validem esse uso popular, os resultados deste trabalho pretendem contribuir para validação do uso popular desta planta, bem como, abrir caminho para o desenvolvimento de um fitoterápico para o tratamento de úlceras gástricas à partir deste vegetal.

Situação: Em Andamento Natureza: Pesquisa

Alunos envolvidos: Graduação (2); Mestrado acadêmico (3);

Integrantes: Sérgio Faloni de Andrade (Responsável); Marivane Lemos (M), Valdir Cechinel-Filho; Rivaldo Niero; Luiz Carlos Klein Jr. (M); José Roberto Santin (M)

Financiador(es): Fundação de Apoio a Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de SC-FAPESC-Edital UNIVERSAL Nº 07/2009 - FAPESC(R$ 38.000,00)

Início: 2010

19. Avaliação da atividade gastroprotetora de preparações extrativas a partir das partes aéreas da Marrubium vulgare L. (Lamiaceae) e substância isolada marrubiina

Descrição: Marrubium vulgare, é uma planta medicinal conhecida popularmente como Marroio, Maromba e Marroio-Branco. Este trabalho tem por objetivo avaliar o efeito gastroprotetor do extrato bruto hidroalcoólico de Marrubium vulgare e seu composto majoritário, o diterpeno marrubiína, em diferentes modelos de indução de úlcera e inibição da secreção gástrica em camundongos, utilizando-se diferentes doses, 25, 50 e 100 mg/kg, a fim de fornecer subsídios para o desenvolvimento de um futuro fitoterápico.

Integrantes: Sérgio Faloni de Andrade (Responsável); Marivane Lemos; Valdir Cechinel-Filho; Angelica G. Couto, Luiz Carlos Klein Jr.; José Roberto Santin; Ana Paula Oliveira (Mestrado), João Souza Filho (graduação)

Financiador(es): Pronex-FAPESC

Início: 2010

Natureza: Pesquisa

20. Avaliação do Potencial farmacológico de plantas Medicinais da flora Guatemalteca

Este projeto visa realizar screening farmacológico de extratos de plantas Medicinais da Guatemala (Valeriana Prionophylla e Boheria Huanita a fim de analisar se os mesmos exercem efeitos centrais, enfatizando principalmente as propriedades antidepressiva e ansiolítica. Com os compostos isolados, realizar estudo do mecanismo de ação das propriedades farmacológicas detectadas, através de modelos animais específicos ,

Equipe: Márcia Maria de Souza (docente resp.); Armando Cáceres (docente colaboradora); Ana Elisa Gonçalves (graduação); Iandra Holzemann (graduação), Luiz Carlos Klein (mestrando), Valdir Cechinel Filho (docente colaborador), Fernanda Sosa (graduação)

Financiamento: . Bolsa de IC- CNPq

21. Avaliação fitoquímica biomonitorada de espécies pertencentes ao gênero Piper

Devido à importância econômica do gênero Piper, pretende-se isolar e caracterizar as substâncias responsáveis pelos efeitos antitumorais já detectados em extratos do gênero, principalmente da espécie Piper aduncum e avaliar a influência da sazonalidade no perfil dos compostos bioativos. Os extratos e substâncias isoladas serão avaliados em diferentes linhagens de células tumorais in vitro com posterior estudo dos mecanismos de ação. Serão desenvolvidos método cromatográficos para contribui para o futuro controle de qualidade dos extratos e isolamento das substâncias de interesse. Além desta espécie estão sendo analisadas mais duas espécies de Piper (P. cernumm e P. amplum), incluindo o óleos essenciais, com análise da composição e atividade antimicrobiana. Também estão sendo desenvolvidos extratos secos por spray dryer os quais serão padronizados, visando o desenvolvimento de fitoterápicos.

Equipe: Angela Malheiros (docente responsável), Valdir Cechinel Filho (docente), Marina da silva Machado (docente), Cristiane Burger (EXTERNO), Nara Quintão (docente), Rilton Alves de Freitas (EXTERNO), Thais Tomio (mestrado), Paola Leoni (graduação), Ruth (docente) Tailyn Zermiani (graduação), Vinicius Borges Blodorn (graduação), Fernanda Sobreiro Modesto de Andrade (graduação), Mariana Couto (graduação). Leticia Flauzino (graduação) Matheus Correa dos Santos (graduação), Fabiane Machado Lobato (Graduação), Adriana Gaspareto (Doutorado), João Souza Filho (discente), Leticia Flausino (PIBIT)

Fonte Financiadora (bolsa ou valor do projeto): PIBIC/CNP, PIBITI/CNPq, PMUC/FAPESC,

Início: 2010

22. Avaliação do potencial terapêutico e da composição química de frutos silvestres da flora catarinense

O Projeto pretende identificar frutos silvestres com potencial terapêutico, fazendo uma triagem em relação aos vários modelos experimentais de domínio do grupo de pesquisa visando verificar os possíveis efeitos antimicrobianos, antioxidantes, gastroprotetivos, analgésicos, antiinflamatórios, antitumorais, entre outros, e elucidar os princípios ativos dos extratos mais promissores, bem como aprofundar os estudos farmacológicos/biológicos em modelos específicos e estudos do mecanismo deação.

Equipe: Valdir Cechinel Filho (Docente responsável), Rivaldo Niero (Docente), Alexandre Bella Cruz (Docente), Sergio, Fátima de Campos Buzzi (docente), Nara Quintão (docente), Vânia Floriani (colaboradora), Camila Leandra Bueno de Almeida (mestranda) e e Luciane Nesello (Doutoranda).

Início: 2011

23. Perfil fitoquímico e avaliação da atividade antioxidante e citotóxica dos extratos metanólicos dos frutos de quatro espécies vegetais encontradas na flora catarinense. Início: 2011. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Ciências Farmacêuticas)

Universidade do Vale do Itajaí. (Orientador).

Este projeto tem por objetivo realizar um screening fitoquímico das principais substâncias presentes nos frutos de quatro espécies encontradas na flora catarinense bem como avaliar a ação antioxidante e crescimento celular do extrato metanólico bruto e de algumas frações obtidas por diferentes solventes extrativos.

Início: 2010

Integrantes: Rivaldo Niero (Docente responsável);Marina Da Silva Machado (Colaborador); Valdir Cechinel-Filho (Colaborador); Pâmella Cristine Duarte (Mestranda); Theodoro Marcel Wagner (Colaborador); Matheus Correa(grad); Luisa Nathália Bolsa Mariano (Grad)

Copyright - univali.br - 2021 - Todos os direitos reservados