Educação para Transformação – Workshop: A Compostagem como Instrumento de Política Pública

 


por Márcia Gilmara Marian Vieira | 18/05/2019

A agroecologia é vista como ciência ou disciplina científica de caráter multidisciplinar, esta busca bases científicas para transição da agricultura tradicional à uma agricultura mais sustentável, promovendo assim o desenvolvimento rural sustentável a partir de uma agricultura menos agressiva ao meio ambiente e que proporciona melhores condições sociais e econômicas aos agricultores. Entre as atividades realizadas na agroecologia como tratos culturais, uma delas é a compostagem, que é a produção do composto ou adubo formado por matéria orgânica humidificada, obtida a partir da transformação e decomposição biológica de restos orgânicos, como sobras de podas, frutas, verduras, dejetos de animais e entre outros, pela ação microbiana do solo (RIBEIRO, 2003).
O método de compostagem possui diversas utilidades e benefícios, é usada para enriquecer solos com deficiência de nutrientes, permitindo uma boa fertilidade, para estimular o crescimento das plantas e aumentar a produtividade. Sendo assim, a compostagem é uma alternativa para diminuir o acúmulo de resíduos sólidos orgânicos que iriam para o aterro sanitário, minimizando os impactos ambientais negativos, além de economizar os recursos que seriam utilizados para o transporte destes resíduos orgânicos.
Nesse contexto, em fevereiro de 2019, foi aprovado o Projeto de Lei da Compostagem 17.506/2018 que institui a obrigatoriedade da destinação ambientalmente adequada de resíduos sólidos orgânicos por meio dos processos de reciclagem e compostagem no município de Florianópolis. Essa política pública surgiu através do Vereador Marcos José de Abreu (Marquito), que é autor de diversas outras ações que promovem a educação ambiental na região. Anualmente os municípios despendem de milhões de reais para que uma empresa faça o transporte dos resíduos sólidos orgânicos para os aterros sanitários, e grande parte desses resíduos coletados deveriam ser compostados. Além dos benefícios da prática da compostagem já citados, esta medida diminui consideravelmente o custo com aterro e transporte, diminui a degradação ambiental, contribui para as metas da Política Nacional de Resíduos Sólidos, constrói a base central da promoção da agricultura urbana e possibilitará geração de renda. Quanto mais as cidades fizerem compostagem, mais irão produzir adubo suficiente para estimular a alimentação orgânica.
Nesta perspectiva, a Horta Orgânica Experimental “Ibyporã”, criada pelo Projeto de Extensão Educação para Transformação: Meio Ambiente, Saúde e Gênero, coordenado pela Professora Dra. Márcia Gilmara Marian Vieira, proporciona reuniões mensais na área de Agroecologia e suas diretrizes, como a compostagem, além da observação de um cultivo limpo, sem utilização de insumos químicos e ainda permite uma melhor compreensão e experiência dos temas e técnicas abordadas sobre agroecologia nos eventos do Projeto.
Esses encontros práticos na Horta Orgânica Experimental baseiam-se na ajuda mútua, estimulando a participação e inclusão de todos, sendo prestado de forma gratuita, recebendo horas acadêmicas. Este evento terá parte prática e teórica do assunto, na parte teórica será abordado sobre o Projeto de Lei da Compostagem e como a mesma se torna um instrumento de Política Pública. Na oficina prática, será dado orientações sobre quais manejos deverão ser realizados para realizar uma boa compostagem, como elaborar uma composteira, quais resíduos são permitidos, os insumos essenciais para o bom funcionamento da decomposição dos resíduos sólidos orgânicos, entre outros assuntos do tema.
Hoje o Projeto de Extensão Educação para Transformação possui em seus eventos a participação das mulheres agricultoras e de acadêmicos de diversos cursos da graduação e pós-graduação, como Ciências Biológicas, Jornalismo, Direito, Análise Ambiental, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Oceanografia, Nutrição, Enfermagem, Fisioterapia e entre outros; docentes, a comunidade; especialistas, bolsistas, voluntários, colaboradores e parceiros do Projeto de Extensão, que além de participar, auxiliam na realização dos encontros.

Referências Bibliográficas:
RIBEIRO, C. C. Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos. Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Belém: SECTAM, 2003.  

Programação

 Workshop: A Compostagem como Instrumento de Política Pública
Data: 18/05/2019 – Sábado.
Horário: Das 08:00 às 13:00
Local palestra: Auditório da Farmácia, bloco E1.
Local oficina prática: Horta Orgânica Experimental (atrás do Centro de vivência), bloco F.
Temática: Política pública, técnicas de compostagem e técnicas sustentáveis de manejo do solo e das plantas.
Palestrantes: Dra. Márcia Gilmara Marian Vieira e Msc. Marcos José de Abreu.

Atividades realizadas:

• 08:00 - 08:30: Recepção e acolhimento dos convidados e participantes;
• 08:30 - 09:00: Abertura – Apresentação do Projeto de Extensão Educação pra Transformação: Dra. Márcia Gilmara Marian Vieira;
• 09:00 - 10:00: Explicação sobre o tema – Política Pública e Compostagem: Msc. Marcos José de Abreu;
• 10:00 - 12:00: Ida para a Horta Orgânica Experimental – Atividade prática de trabalho de campo com composteira de leira;
• 12:00 – 13:00: Encerramento do Workshop com conversa sobre a produtividade e importância da atividade realizada.
 O cronograma pode sofrer alterações devido a condições climáticas ou adversas, porém, será comunicado com aviso prévio aos participantes.

Ministrantes

Palestrante e Coordenadora do Projeto: Márcia Gilmara Marian Vieira.
Breve apresentação: Graduada como Bacharel em Química pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1994), mestre em Química Orgânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996) e doutora em Química Orgânica (2008) pela UFSC. É professora da disciplina de Química NID EMCT na Universidade do Vale do Itajaí. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Ambiental, atuando principalmente no seguinte tema: Metodologia AOX para Análise Ambiental e Saúde Ambiental em empreendimentos agroecológicos como uma ferramenta promotora da saúde. Orienta pesquisas de Iniciação Científica, trabalhos de conclusão de curso e dissertação de mestrado. No curso de Ciências Biológicas, atua na linha de pesquisa Saúde da Família na Perspectiva Interdisciplinar com foco no Meio Ambiente, Qualidade de Vida, Bem-Estar, Agroecologia. Atualmente, é coordenadora do Projeto de Extensão Educação para Transformação: Meio Ambiente, Saúde e Gênero, cujo objetivo é promover educação popular em saúde, meio ambiente, e relações de gênero para o desenvolvimento social, econômico e ambiental da agricultura familiar estimulando a participação cidadã como estratégia de mudança e autonomia. Atualmente está realizando o curso de Pós-doutorado em Agroecologia e Paisagismo, com o projeto intitulado:  “Agroecologia e Paisagismo: Abordagem Teórica e Metodológica para o Desenvolvimento das Novas Ruralidades” na Instituição da Universidade Passo Fundo (UPF), Programa de Pós-Graduação em Agronomia (PPGAgro), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, sob a supervisão da Dra. Cláudia Petry. O objetivo principal da pesquisa será consolidar a compreensão sobre Agroecologia e o Paisagismo, agregando conhecimentos sobre o processo de transição para a produção orgânica, conhecer as ruralidades, analisar práticas tradicionais de manejo da paisagem e identificar potenciais paisagísticos integrando-os ao referencial teórico e metodológico dos estudos de extensão e comunicação rural.

Palestrante: Marcos José de Abreu.

Breve apresentação: Possui graduação em Agronomia (2005) pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestrado em Agroecossistemas (2013) pela UFSC. Referência na cidade de Florianópolis/SC e no Brasil em Compostagem, Agricultura Urbana, Permacultura, Agroecologia e Alimentação. Uma trajetória de coerência entre a prática cotidiana e uma proposta de sociedade mais igualitária, fraterna e equilibrada ecologicamente. Atualmente, também é vereador do município de Florianópolis.

Informações Adicionais

Data: 18/05/2019
Horário: 08:00 às 12:00
Local: Palestra: Auditório da Farmácia, bloco E1. Oficina prática: Horta Orgânica Experimental (atrás do Centro de Vivência), bloco F.
Valor: Isento

Mais Informações

Responsável: Gabriela Goetten
E-mail: gabrielagoetten@outlook.com
Telefone: (47) 9 92581144

REGRAS PARA INSCRIÇÃO E CERTIFICAÇÃO

REGRAS PARA INSCRIÇÃO E CERTIFICAÇÃO:

(As regras abaixo serão aplicáveis a todos eventos (salvo casos excepcionais).

1 – PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES: A organização reserva-se o direito de prorrogar as inscrições caso haja vagas disponíveis, bem como poderá alterar a data do evento por motivo de forma maior, com nova data a ser definida pela organização e comunicada aos inscritos, via e-mail. Neste caso, se o inscrito não puder participar das atividades na nova data, deverá comunicar, imediatamente, via e-mail, a organização do evento, podendo ser integralmente reembolsado, conforme descrito no item 4.
2 – CANCELAMENTO DA INSCRIÇÃO/DESISTÊNCIA: O inscrito poderá requerer o cancelamento de inscrição, via e-mail, com direito à devolução de: a) 100% (cem por cento) do valor pago, desde que o faça até 7 úteis antes da data de início do evento, b) 80% (setenta por cento) do valor da inscrição, desde que o faça no prazo compreendido entre 6 (dias) e 1 (um) dia antes do evento.
 2.1 – O inscrito que não comunicar sua desistência e/ou não solicitar o cancelamento de sua inscrição no prazo acima mencionado NÃO terá direito ao reembolso e assume a obrigação de efetuar o pagamento do valor integral previsto no ato da inscrição.
2.2 – Não há a possibilidade de trancamento de matrícula no evento contratado.
3 – CANCELAMENTO DO EVENTO: Caso não haja a quantidade mínima de inscritos ou ocorra algum contratempo de força maior que inviabilize a realização do evento, o mesmo será CANCELADO. O aviso aos inscritos será através do e-mail cadastrado no ato da inscrição e o reembolso será efetuado integralmente, de acordo com o item 4.
4 – REEMBOLSO: Será concedido reembolso aos inscritos somente nos casos previstos nos itens 1, 2 e 3.
4.1 – Pagamentos via boleto bancário: o prazo para reembolso é de até 30 dias úteis após o envio dos dados bancários nominais e CPF, via e-mail, à organização do evento.
4.2 – Pagamentos via mensalidade da graduação/pós-graduação: o reembolso poderá ser feito como crédito em mensalidade ou via depósito bancário. O crédito em mensalidade ocorre em até 15 dias úteis e o inscrito deverá encaminhar (por e-mail) o código de pessoa e o nome completo para que o mesmo seja realizado. O prazo para reembolso via depósito é de até 30 dias úteis após o pagamento da inscrição e mediante envio para a organização (por e-mail) dos dados bancários nominais, CPF e comprovante de pagamento do boleto (caso ainda não tenha sido feita a baixa bancária).
4.3 – Pagamentos via cartão de crédito: o prazo para reembolso será de até 30 dias úteis após envio para a organização (por e-mail) dos dados bancários nominais e CPF. O reembolso será feito por depósito bancário, em parcela única. Não será realizado estorno no cartão de crédito do inscrito.
5 – CERTIFICAÇÃO: terá direito ao Certificado o inscrito que frequentar às atividades previstas no evento. O pagamento da inscrição no evento, por si só, não dá direito ao recebimento de certificado de participação.
5.1 Confirmação de presença:  O inscrito deverá estar atento à forma de confirmação de presença no evento e/ou nas atividades que compõem o mesmo (leitor de código de barras, listas de presença ou outro método adotado pela organização do evento), pois sem a confirmação de presença feita pela coordenação do evento, a mesma reserva-se o direito de não emitir o certificado de participação ao inscrito.
5.2 – Certificados online: O Certificado, fornecido em formato online, estará à disposição dos participantes em até 60 dias após a data de término do evento, sendo a confirmação das frequências de responsabilidade dos organizadores das atividades. O participante será avisado via e-mail com as devidas instruções para impressão do mesmo. O inscrito poderá consultar seus certificados no site www.univali.br/elis.
5.3 – Certificado para autores/apresentadores de trabalho: A coordenação do evento poderá emitir certificação diferenciada para autores e apresentadores de trabalho. Os certificados de apresentação serão fornecidos somente às pessoas que procederem a apresentação presencial (oral, pôster ou de outra forma designada pelo evento). Os demais autores do trabalho receberão certificação como autores (ou coautores).
Ao finalizar o processo de inscrição, o inscrito afirma que aceitou todos os termos e está ciente das informações e condições estipuladas pela coordenação do evento.




  • Compartilhe:

Voltar para todos os eventos

Copyright - univali.br - 2019 - Todos os direitos reservados

Educação para Transformação – Workshop: A Compostagem como Instrumento de Política Pública