Histórico

​Os museus de história natural, categoria onde se enquadram os museus oceanográficos, levam décadas para serem formados, ao contrário dos demais tipos de museus. A grande dificuldade se dá pelo fato de que seus acervos não são comerciais. Não há baleias à venda nem espécies raras de tubarões no mercado, o que os difere substancialmente dos museus históricos, de arte ou de outros temas específicos onde há um mercado estabelecido para a aquisição de acervos.

Portanto, o crescimento de um acervo oceanográfico está sujeito a um grande esforço de campo (percorrendo grandes distâncias pela costa do litoral) associado a ocorrências raras e inusitadas que se dão ao longo do tempo. De uma forma geral os museus de história natural surgem de uma grande coleção particular que posteriormente é institucionalizada e com isso recebe um impulso que resulta no nascimento de um museu propriamente dito. Este processo leva geralmente entre 30 e 50 anos em qualquer lugar do mundo e foi o caso dos museus atualmente estabelecidos no Brasil e particularmente do MOVI.