Centro de Estudos Antárticos

O Centro de Estudos Antárticos (Ceantar) está instalado no primeiro andar do Campus da Univali em Balneário Piçarras junto ao Museu Oceanográfico da Univali. Este laboratório (Fig. 21) tem como objetivo gerenciar projetos e estudos relacionados a Antártica, além de ser um espaço aberto a visitações possibilitando contato com equipamentos e peças históricas relacionadas ao continente gelado. Ele possui o segundo maior arquivo histórico sobre o tema no país, tutelando milhares de documentos históricos e artigos do extinto Instituto Brasileiro de Estudos Antárticos (IBEA), anterior ao Programa Antártico Brasileiro. 

Também compõem o acervo, documentos pessoais do professor Péricles Azambuja, pioneiro na campanha que levou o Brasil à Antártica, e do curador do Museu Oceanográfico da Univali, Jules Soto, que arquiva e coleciona objetos e documentos sobre o tema desde 1982. No local também funcionará uma das mais completas bibliotecas temáticas brasileiras sobre a Antártica, com livros, periódicos e clipagens e diversas obras raras e esgotadas.

O laboratório de pesquisas servirá de apoio a Base Antártica Universal criada por meio de parceria entre Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que envolve a instalação de um centro de pesquisa junto à estrutura chilena da Base Frei. A base atende as demandas da Organização das Nações Unidades de ter uma representação na Antártida e terá a Universidade do Vale do Itajaí como mentora e gestora.